Seguidores

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

DP

Departamento Pessoal

Texto:      Ademir Esteves

Cenário:
Ante-sala de uma grande empresa.

Personagens:
Matias 46 anos
Lisandra         30 anos
Creolinda  secretária

Cena 1


MÚSICA EM ALTO VOLUME. ESCURECE O TEATRO. DOIS FOCOS NAS LATERAIS DO PALCO.  NO FOCO DA DIREITA ESTÁ MATIAS FALANDO AO CELULAR. NO FOCO ESQUERDO LISANDRA TAMBÉM AO TELEFONE. NO INICIO VEMOS A GRANDE ALEGRIA DE AMBOS, COMUNICANDO CERTAMENTE ALGO QUE OS FARÁ MUITO FELIZES. ENTRETANTO, CONFORME VÃO FALANDO, AS EXPRESSÕES SE MODIFICAM, TORNAM-SE DESAFIADORAS, AS FALAS ELOQÜENTES E VORAZES, ATÉ QUE, ABRUPTAMENTE DESLIGAM OS TELEFONES. SILÊNCIO TOTAL.


Cena 2

A LUZ ABRE PARA A ANTE-SALA. MATIAS ENTRA, SEGURANDO UMA PASTA EXECUTIVA E UM COPO COM ÁGUA. OLHA PARA FRENTE E DÁ UM SORRISO QUASE SARCÁSTICO. SENTA-SE. SEGUNDOS DEPOIS, LEVANTA-SE.

MATIAS
(ANDA E VOLTA, BEBE ÁGUA VAI ATÉ A ENTRADA DA SALA E FALA PARA FORA:)
Escuta: ainda demoram pra chamar? Não!!! Eu estou tranqüilo, tranquilissimo, tranquiléssimo... (ri forçosamente) anota aí, eu tô no horário! Sempre pontual. Já a concorrência... (ri mais forçado, ainda. Volta para o centro) Matias, Matias... Se controla, cara, não subjugue o adversário.

LISANDRA (falando de fora, depois em cena)
Obrigada pela simpatia, querida. Será um imenso prazer estabelecer vínculos nesta empresa sabendo que há pessoas tão amáveis como você no quadro de funcionários. (no meio da cena, para Matias) Boa tarde!

MATIAS
Boa tarde!

LISANDRA
(para fora) Oi? É Lisandra, com “s”. (volta-se) Lisandra com “s” ou com “z”, todo mundo confunde, mas não é o mais importante, não é verdade? O que vale é a Lisandra que sou por dentro.

MATIAS
É. Sempre me perguntam se o meu Matias é com “th” ou sem “h”, costumo responder que na hora “h” o que importa é o Matias que sou por dentro e... por fora!

LISANDRA (coloca a bolsa e a pasta sobre o sofá entre eles, depois se sentando).
Hoje estou me sentindo como num desses programas de televisão que descobrem talentos.
MATIAS
É mesmo?
LISANDRA
Você não?
MATIAS
A comparação me parece meio absurda.
LISANDRA
Não há nada de absurdo nisso. Uma vaga no departamento pessoal de uma das maiores empresas do planeta, um salário de primeiro mundo, 67 mil candidatos à mesma vaga e só dois vão para a final? Chega a ser engraçado.
MATIAS
Vendo nós dois aqui pleiteando o mesmo cargo dá pra ser bem engraçado mesmo... Acho que eles não têm definido na cabeça o perfil do funcionário procurado.

LISANDRA
Ah, mas devem estar buscando mais pela competência do que pela aparência... (olhando-o de cima a baixo) ou pela idade.
MATIAS
O que não deve ser nosso caso, né? Porque se for pela idade...
LISANDRA
Escuta aqui, ô... (controla-se. Depois de um tempo, falsa simpatia) Que vença o melhor!
MATIAS (concertando a tempo)
Ou a mais nova!
LISANDRA (quase meiga)
Pára com isso de idade...
MATIAS
Quase quarenta e seis anos, dos quais trinta dedicados ao trabalho, dez ao casamento. Pra você ver, eu esperei o tempo de amadurecer e concretizar parte dos meus planos...
LISANDRA
Precisamos tocar nesses assuntos...?
MATIAS
É pra você compreender porque a idade é armadilha da continuidade de um homem. A minha juventude é a época marcante do batente quando eu deveria estar me divertindo, viajando, conhecendo... Aos vinte e poucos eu já era proprietário de um apartamento e uma casa em construção...
LISANDRA
Sinceramente a sua história não está em...
MATIAS
Não é a minha história somente. É mais uma história, não é?
LISANDRA
Na verdade...
MATIAS
Deixa eu falar, eu preciso disso.
LISANDRA
Bom, se te acalma, vá em frente.
MATIAS
Aos trinta e cinco anos descubro o amor, menos de um ano depois me caso com ela... Eu 35, ela 19... Por um momento eu penso: Ave Maria, uma menina! Por forças das circunstâncias havia me matriculado numa aula de dança de salão. Você sabe,  festas com os altos escalões das companhias exigiam de mim um pouco mais que a simples retórica sobre assuntos pertinentes. Eu sem par. Ela sem par. O professor nos juntou... (O TANGO COMEÇA A TOCAR EM FADE IN) todo o piso do salão desejou transformar-se em nuvens, e com ela nos braços tudo parecia fácil, como se eu tivesse dançado a minha vida toda. Permita-me colocá-la em minha história? (DANÇA O TANGO COM LISANDRA. NO INICIO ELA RELUTA, DEPOIS DANÇAM PERDIDAMENTE. DE REPENTE, SEM MÚSICA) Ave Maria, uma menina... Mas ela estava ali, na minha frente, oferecendo tudo que eu precisava para harmonizar meu plano de vida. Não me arrependo. Até hoje temos estabelecido entre nós uma conduta irreparável.
LISANDRA
Então, você sofre por quê?

MATIAS
Que sofrimento? Quem falou em sofrimento? Tô falando de idade. Antes as possibilidades eram desafios fáceis de serem superados. Agora, no instante de supor que a hora de desfrutar de todas as conquistas chegou, o que acontece? O que?
LISANDRA
O que?
MATIAS
Responda você...
LISANDRA
Acontece... Acontece... Sei lá, você quer mais do que já tem?
MATIAS
Uma ruptura. Acontece uma ruptura. A firma abre falência e os pobres coitados são colocados novamente à mercê do recomeço. Claro, aí você reflete e chega à conclusão que será uma tempestade momentânea, afinal, você tem bagagem, você freqüentou os últimos cursos de reciclagem, atualizou e reformulou seus conceitos, adequou-se a tecnologia... E pimba! Saí à luta.  E qual o resultado da busca?
LISANDRA
A idade outra vez falando mais alto?!
MATIAS
Viu? (Tempo) Faz um ano e meio que tô desempregado...
LISANDRA
Sei o quanto deve ser complica...


MATIAS
...nem sei mais em quantas entrevistas estive e, apesar de toda minha experiência, tempo de trabalho, etc, etc, a desculpa é sempre a mesma:...
LISANDRA
Esperança é a última que...
MATIAS
...o senhor preenche os requisitos básicos, mas a corporação imagina  alguém que possa ascender, acompanhar o desenvolvimento, que tenha “pique”... “Pique”, compreende? Brincadeira de criança... “pique”.
LISANDRA
Pique?!
MATIAS
Pique! Jovens, cheios de sonhos e nenhuma bagagem. Eles querem alguém pra esculpir, delinear...
LISANDRA
Eu entendo. Não, eu realmente entendo. Você quer que eu faça o quê? Me levante, vá embora e desista do emprego? Sim, porque se eu for não haverá ninguém pra disputa. O seu jogo é bastante comovente, mas devo lhe colocar a par da minha situação antes de supor que apenas você é reprimido pela máquina empregatícia.
MATIAS
Qual seria a sua situação?
LISANDRA
Eu preciso do trabalho.

MATIAS
Eu também preciso.
LISANDRA
Não como eu. É mais que uma prioridade, é quase a derradeira chance de provar que sou capaz de exercer um cargo desses utilizando um sonho que me acompanha desde criança.  Cada movimento meu em relação a pesquisas, estudos, formação foi direcionado para a profissão. Sempre soube que haveria dificuldades, provavelmente eu até deveria ultrapassar alguns limites morais, como o de tirar a oportunidade de alguém como você... Mas, meu Deus do céu, e o meu sonho? E toda a vida organizada com o propósito de alcançar esses objetivos?
MATIAS
Seus objetivos são...?
LISANDRA
Não me entenda mal. Eu casei, tive filhos, e nesse tempo abafei os planos de carreira. Não por obrigação, muito menos por servilismo.
MATIAS
Você não é feliz no casamento, com os meninos?
LISANDRA
Que pergunta. Sou a mulher mais feliz do mundo nesse aspecto. Mas se esse lado está compensado, completamente compensado, o outro lado está vazio.
MATIAS
Quer dizer que você é uma balança?
LISANDRA
Balança?
MATIAS (imitando a balança com as mãos)
Aquele utensílio de pesagem...
LISANDRA
Eu sei o que é uma balança. E também tô entendendo, você está utilizando uma figura de linguagem. Bem, se for pra empregar símbolos, sim, sou uma balança. Qual ser humano pode ser considerado inteiro? Todos nós temos um lado necessitando de mais elementos para o equilíbrio.
MATIAS
Parece que você não costuma discutir esse assunto dentro de casa.
LISANDRA
Meu marido é meio retrógrado.
MATIAS (Rindo)
Ele sabe disso?
LISANDRA
Se não sabe ficará sabendo, porque eu vou dizer. É daqueles que acha que deve prover a família em todos os sentidos. Materiais e palpáveis, sabe?! Não percebe que casa, comida, educação não valem muito sem o respeito à individualidade e pensamento de cada um.
MATIAS
É pra se pensar, é pra se pensar. Já tentou respeitar a individualidade e o pensamento do seu marido? Longe de mim interferir na sua vida pessoal, mas pelas suas falas parece que ele é um déspota.
LISANDRA
Meu Pai do céu, não! Ele tem lá a sua sabedoria...
MATIAS
Que bom! Afinal a sabedoria não ocupa muito espaço no mundo. É privilégio de poucos.
LISANDRA
Enfim! (TEMPO, COMEÇA A RIR) como você é ruim no tango. (NÃO CONSEGUE PARAR DE RIR, IMITANDO-O) “Posso colocá-la na minha história?” (RINDO AINDA MAIS) Pique... Sonhos... Bagagens... Ruptura, uma ruptura... (GARGALHA ATÉ PERCEBER QUE MATIAS ESTÁ CIRCUNSPECTO)
MATIAS
É desumano...
LISANDRA
Se você joga...
MATIAS
Como pode escarnecer sobre as minhas emoções...
LISANDRA
...também posso praticar uma guerrinha de nervos...
MATIAS
...sabendo que tudo está intricado, inacabado, indigesto aqui dentro?
LISANDRA
E foi muito engraçado lembrar de algumas coisas que você disse.
MATIAS
Pra vocês, mulheres, tudo acaba em piada.
LISANDRA
Enfim!

MATIAS
De qualquer forma deve haver uma estabilidade aí no casamento, um orçamento tranqüilo... eqüitativo. Tudo deve estar a mil maravilhas.
LISANDRA
Por que você ta falando nessas coisas, hen?
MATIAS
Suponho que a senhora, no momento, está com bastante tempo livre para se dedicar a essa brincadeira de trabalhar fora.
LISANDRA (olha-o muito tempo, depois abre um sorriso)
Entendi!
MATIAS
Mesmo? Prova que uma pessoa inteligente sempre entende outra.
LISANDRA
Tá querendo me deixar nervosa.
MATIAS
Eu?
LISANDRA
Quem mais?
MATIAS
Mas a sua aparência é de uma mulher desequilibrada.
LISANDRA
Ah! O assunto da balança outra vez? Seus recursos para dominar um diálogo são ínfimos. Deve ser um bom sinal para não me preocupar quando entrarmos para a entrevista definitiva.
MATIAS
É. Com razão. Sou antediluviano, pré-histórico, anacrônico, antiquado.
LISANDRA
Você me provoca, me tira dos trilhos. Por que estamos discutindo assuntos particulares e pessoais numa ante-sala? São problemas que devemos tratar cada um dentro de seus respectivos lares. Olha, eu compreendo o efeito que a exclusão pela idade deve surtir em você, compreendo e fico consternada, de verdade.   Eu mesma não sou uma adolescente. Apesar dos meus tri... da minha idade, é o primeiro cargo aspirado por mim.
MATIAS
Pra mim no seu caso a agravante não é a idade.
LISANDRA (olhando para ele, esperando a conclusão. De repente percebe o que ele quis dizer)
É porque eu sou mulher, né?
MATIAS
Esquece!
LISANDRA
Cadê a vergonha na cara? Assume. Tá com medo de perder pra uma mulher. Não satisfeito com o joguinho de autopiedade tem um segundo porém, não é mesmo? Eu sou mulher e isso afeta os seus brios de dominador. Você não tolera o fato de estarmos no mesmo pé de igualdade.
MATIAS
Igualdade? Qual igualdade pode haver entre homem e mulher? Essa é a maior diversidade desde o principio da criação.

LISANDRA
O seu preconceito só deixa mais claro a sua insegurança.
MATIAS
Não é insegurança, não, é medo. Eu admito. Tenho medo de nunca mais poder voltar ao mercado. Um homem condicionado a fazer sempre tudo igual não consegue restabelecer... (soluça) uma mulher pode tudo. Tudo. Se ela não tem mais oportunidade de carreira, pelo menos ainda pode ser faxineira, lavadeira... Ela não se importa se aos cinqüenta anos estiver servindo a outros...
LISANDRA
Pára. Pára agora. Ridículo, você tá fazendo papel de idiota. (tempo) o senhor não entendeu ainda que o mundo mudou? Que toda estrutura capitalista infiltrou-se nas prioridades do dia a dia e que a mulher teve que se moldar a essas mudanças, com urgência?  Assumo toda a responsabilidade de ter me acomodado durante anos nessa vidinha “empanada”, escondida atrás de velhos princípios, cuidando  da família e da casa como uma dondoca sem aspirações maiores. Por outro lado, pensando melhor, não permaneci  tão estática assim. Estudei bastante. (RETOMANDO) faxineira... é nojento imaginar alguém como você em pleno...
MATIAS (tempo)
Sabe como estou me sentindo? Humilhado. Juro que eu não pretendia ser machista, boçal...  Me desculpe.  É que diante de você e de seus argumentos, pareço um idiota querendo fazer da oportunidade a razão pra continuar existindo. Quem sou eu? Sou o passado tentando resistir ao novo. O que é que estou fazendo aqui, quando na verdade eu deveria entender que a chance da minha vida já passou?!
LISANDRA
Se isso for uma tática...
MATIAS
Por favor, eu não sou ardiloso.
LISANDRA
Ardiloso ou não, é deprimente...
MATIAS
Eu disse o que sinto...
MATIAS
Por favor, eu não sou ardiloso.
LISANDRA
Ardiloso ou não, é deprimente...
MATIAS
Eu disse o que sinto...
LISANDRA
Você não me parece o tipo que SENTE alguma coisa...
MATIAS
Também não estou disposto a comprovar nada...
LISANDRA
Nem precisa... conheço bem o seu tipo...
MATIAS
Tipo, mas que merda de tipo é esse, agora?
LISANDRA
Olha lá como se refere a mim...
MATIAS
Como deveria me referir a uma mala se alça?
LISANDRA
Ah, então é assim que vossa senhoria me considera?
MATIAS
É, é mesmo...
LISANDRA
Mala sem alça?
MATIAS
Mala sem alça, pesada, insuportável.
LISANDRA
E você é um... um... Troglodita. Um... uma... um marsupial escondido na bolsa.
MATIAS
Bolsa? Tá me chamando de canguru?
LISANDRA
Se escondendo como um bebezinho chorão dentro da barriga da mamãe cangurua!
MATIAS
A senhora é que está mostrando as garrinhas que estavam escondidas atrás dessa cara de secretária de contabilidade.
LISANDRA
Boçal esquizofrênico... você nem usa palavras, se expressa por onomatopéias...
MATIAS
Hã?
LISANDRA
Não to falando?
MATIAS
Há, há, há!
LISANDRA
Urg, gurk, dã!
MATIAS
Ah, vai te catar mulher das trevas.
LISANDRA
Me respeita!
MATIAS
Me respeita você, madame...
LISANDRA
Sacripanta!
MATIAS
Profissão: do lar!
LISANDRA
Desempregado...
MATIAS
Trintona...
LISANDRA
Pelancudo...
MATIAS
Dondoca do Jardim Botânico...
LISANDRA
Maracujá de gaveta...
MATIAS
Maracujá? Maracujá? Tubaína quente...
LISANDRA
Louco, você é um louco... Deus me livre... jamais imaginei que ia me defrontar com uma conjuntura dessa... é vivendo que se conhece o ser humano...
MATIAS
Tirou as palavras da minha boca...
LISANDRA
Desde quando cavalo fala?
MATIAS
Desde o instante que a égua entrou por aquela porta e começou a relinchar...
LISANDRA
Filho de uma...
MATIAS
Chega!
LISANDRA
Chega?
MATIAS
É, chega, bastou, deu!
LISANDRA
Ok. Mas quero que fique bem claro: até aqui só tava me defendendo das suas observações.
LISANDRA
Você não me parece o tipo que SENTE alguma coisa...
MATIAS
Também não estou disposto a comprovar nada...
LISANDRA
Nem precisa... conheço bem o seu tipo...
MATIAS
Tipo, mas que merda de tipo é esse, agora?
LISANDRA
Olha lá como se refere a mim...
MATIAS
Como deveria me referir a uma mala se alça?
LISANDRA
Ah, então é assim que vossa senhoria me considera?
MATIAS
É, é mesmo...
LISANDRA
Mala sem alça?
MATIAS
Mala sem alça, pesada, insuportável.
LISANDRA
E você é um... um... Troglodita. Um... uma... um marsupial escondido na bolsa.
MATIAS
Bolsa? Tá me chamando de canguru?
LISANDRA
Se escondendo como um bebezinho chorão dentro da barriga da mamãe cangurua!
MATIAS
A senhora é que está mostrando as garrinhas que estavam escondidas atrás dessa cara de secretária de contabilidade.
LISANDRA
Boçal esquizofrênico... você nem usa palavras, se expressa por onomatopéias...
MATIAS
Hã?
LISANDRA
Não to falando?
MATIAS
Há, há, há!
LISANDRA
Urg, gurk, dã!
MATIAS
Ah, vai te catar mulher das trevas.
LISANDRA
Me respeita!
MATIAS
Me respeita você, madame...
LISANDRA
Sacripanta!
MATIAS
Profissão: do lar!
LISANDRA
Desempregado...
MATIAS
Trintona...
LISANDRA
Pelancudo...
MATIAS
Dondoca do Jardim Botânico...
LISANDRA
Maracujá de gaveta...
MATIAS
Maracujá? Maracujá? Tubaína quente...
LISANDRA
Louco, você é um louco... Deus me livre... jamais imaginei que ia me defrontar com uma conjuntura dessa... é vivendo que se conhece o ser humano...
MATIAS
Tirou as palavras da minha boca...
LISANDRA
Desde quando cavalo fala?
MATIAS
Desde o instante que a égua entrou por aquela porta e começou a relinchar...
LISANDRA
Filho de uma...
MATIAS
Chega!
LISANDRA
Chega?
MATIAS
É, chega, bastou, deu!
LISANDRA
Ok. Mas quero que fique bem claro: até aqui só tava me defendendo das suas observações.



MATIAS
Já pedi desculpas pela minha intransigência. E vou fazer mais, hein? vou fazer algo que você desacreditará. Pego minha pasta executiva e saio desta sala, desta empresa, sem olhar para trás. Quer ver?
LISANDRA
Que ver, que ver? Ver nada, quero ver nada.  Tô aqui pra conseguir ou não o emprego. Ponto. Fim.
MATIAS
Mesmo assim eu vou. (Indo) Seja abundantemente afortunada na nova empreitada. (sai)
LISANDRA (fica olhando para onde Matias saiu. Depois olha para frente. Volta a olhar a saída. Novamente para frente. Matias volta, fica parado na entrada perdido) abundantemente afortunada? Quem é que deseja felicidade a alguém numa conversa com: abundantemente afortunada?
MATIAS
A secretária informou... Eu indo embora... eles chamarão a pessoa que ficou em terceiro lugar nos testes.
LISANDRA
Então fique e vamos ver no que vai dar. Dá na mesma eu ou você conseguindo o emprego...
MATIAS
Isso quer dizer que há um terceiro lugar ou até um quarto. O que leva a um outro raciocínio lógico e totalmente revolucionário.  Há um terceiro, um quarto, quiçá um quinto lugar, então, qual de nós dois é o primeiro?

LISANDRA
Ta falando sério?
MATIAS
Não é pra estar? Um choque desses e acha que eu estaria brincando?
LISANDRA (bem perto dele. Metódica)
Cala a boca, acorda e senta agora nesse sofá. (Ele senta) Abra os ouvidos e escuta tudo, sem interromper, por favor.
MATIAS
Mas um de nós dois é o primeiro...
LISANDRA
Eu disse sem interrupções.
SILÊNCIO. LISANDRA CAMINHA UM POUCO PELA CENA. MATIAS SE MOSTRA CONCENTRADO, OU PELO MENOS TENTA. LISANDRA PARECE REFLETIR ANTES DE COMEÇAR.
MATIAS
Tá demorando!
LISANDRA
É isso! A demora. Que gera espera, desconforto, pavor.  Se você se coloca no presente observando o passado o tempo significa um longo caminho percorrido.  Contudo, quando você está no passado o tempo é rápido, contínuo, sufocante... porque tudo vai muito depressa, contrariando o presente. Estando lá ou cá o futuro é o grande mistério. O nosso mistério não é o que fomos até aqui e não é a discussão de princípios ou ideais, de quem é mais humano ou tenha mais direitos, não, o nosso mistério é perceber de uma vez por todas que somos capazes de superação. A vaidade... Matias, está nos levando a um gasto de energia sem retorno que pra nós, se você observar bem, é infundada, porque sendo você ou eu ocupando aquele cargo... (Senta-se ao lado dele) o que nos trouxe até aqui? Foi capacidade, precisão ou rixa? A gente deve abrir mão do sonho contrapondo a prioridade? Será que quando eu me dispus a ter filhos, lançando pra frente a oportunidade de exercer uma ocupação a mais eu estava sendo generosa ou apenas protelando um egoísmo que viria à tona, fosse em que tempo fosse? (Tempo) cada frase que sai da minha boca não tem apenas um sentido, é muito mais, eu digo uma coisa, sinto outra e a realidade me mostra de outra maneira. Estou tentando me apoiar nas referências que o tempo me deu. Eu percebo, eu sei o quanto você é maravilhoso, sabe? Mas eu também preciso prestar contas com a consciência, de ajustar os mecanismos que me tornam viva, dar a ela a constante afirmação de que eu posso, sou capaz, mesmo que isso sobressaía a angustia do próximo.  Não é apenas o simples emprego. Não é. É esse suspiro preso fazendo gelar por dentro, querendo sair, explodir. Não posso ignorar o sonho, não devo fechar os olhos para a realidade e não vou passar pela vida em vão.
MATIAS
Já parou pra pensar... Apesar da minha idade, do desespero experimentado por mim, das neuras... Posso ser o escolhido?
LISANDRA
Claro!
MATIAS
Se isso acontecer vou ficar mal.
LISANDRA
É. Eu me decepcionaria. Talvez a frustração me dominasse por um tempo... Mas se fosse ao contrário...
MATIAS
Isso é ruim, muito ruim. Em qualquer das hipóteses nenhum de nós dois ficará completamente bem. (tempo) você é mãe, gerou filhos dentro de você, é definitivo. Dizem ser a plenitude da mulher. Uma plenitude que o homem tem apenas no momento que olha pela primeira vez para a criança. São mundos diferentes. Um homem nunca será feliz completamente, porque dentro dele o que pulsa é apenas um coração enquanto a mulher pode experimentar vários corações. Ah! Tô dizendo asneiras...
LISANDRA
Eu nunca tinha visto o universo com tamanha simplicidade. Em momento algum poderia imaginar esse pensamento saindo de você.
MATIAS
Um cara deve ser durão.
LISANDRA
(REFLETINDO) dedicação e lealdade já foram as escolhas corretas como princípios básicos de garantia e sucesso na carreira. Segundo Luiz Scistowski  “os profissionais comercializam os seus talentos como consultores independentes e sem nenhum tipo de vínculo empregatício com as organizações.”


MATIAS
“As empresas modernas são muito dinâmicas e tudo isso vem reformulando radicalmente a relação empregado-empregador nesta virada de século. Frente a isso, o trabalhador moderno está sendo "obrigado" a assumir uma postura pró-ativa, ou seja, investir na administração da própria carreira.”
LISANDRA
“Todos os departamentos, somando forças dentro de suas especializações, trabalham em conjunto, sempre com o objetivo de aprimorar o desempenho da organização como um todo.”
MATIAS
“Trabalho não é vergonha, é só uma maldição.
Guimarães Rosa
LISANDRA
“O trabalho afasta de nós três grandes males: o tédio, o vício e a necessidade.
Voltaire”
MATIAS
“O movimento sindical, os trabalhadores, os governantes, os partidos, os homens e mulheres de bem deste país, precisam urgentemente sair da condição de passividade diante da barbárie capitalista e exigir que a vida humana seja minimamente respeitada e protegida que o Estado, colocando-o novamente na condição técnica e política de exigir de todos os setores produtivos e inclusive do próprio Estado que sejam observadas e aplicadas às normas...”
MATIAS E LISANDRA
“... e técnicas que visam garantir a vida humana. Gilson Reis”.
LISANDRA
Temos duas opções. Ficar e desvendar o mistério do futuro ou ir embora.
MATIAS
O que você quer?
LISANDRA
Não, o que você quer?
MATIAS
Pode ser a chance de um futuro muito promissor.
LISANDRA
Também pode significar que passaremos o resto de nossas vidas amargando...
MATIAS
Eu tenho medo. Mesmo estando ciente de amanhã surgir uma outra oportunidade, o medo da incerteza é maior.
LISANDRA
Temos que decidir.
MATIAS
Agora?
LISANDRA
Antes que seja tarde. O que está em jogo vai além da individualidade, está em jogo a família, o respeito, a dignidade.
MATIAS
Por que tem que ser assim? Por que? Todo mundo devia ter seu espaço.
LISANDRA
Saindo agora daqui, poderemos sustentar nossa honra e dar uma banana pro sistema.


MATIAS
Parece fácil. Mas o mínimo é o sistema engolir a banana jogando a casca no chão. E quem é que vai escorregar nela, Lisandra, quem?
LISANDRA
Então vamos ficar e seja o que Deus quiser.
MATIAS
Estamos confusos...
LISANDRA
Não somos pensadores, não temos obrigação nenhuma de ostentar nada que seja definitivo. Temos?
MATIAS
Não.
LISANDRA
Então?
MATIAS
Quer ir embora mesmo ou está fugindo? A convivência com a dúvida pode nos transformar em monstros.
LISANDRA
Vamos embora!
MATIAS
Você vai. Eu fico.
LISANDRA
Transformar em monstro. Ninguém se transforma naquilo que já é.

MATIAS (depois de um tempo, crescendo)
Pelo amor de Deus, Lisandra, volta pra casa e deixa-me tentar a vaga. Você faz o que quiser, abra um negocinho pra você, uma loja de roupas, o que você quiser, eu ajudo. Mas não disputa comigo esse emprego. Eu não vou suportar... Você tem muito mais chances do que eu, será que não entende? Não só pela idade ou por sua sabedoria. Mas onde é que ficam os princípios que me fizeram acreditar sempre, a toda instante, a ferro. Arrancaram de mim a sensibilidade, eu nem percebia que um homem pode ficar feliz falando eu te amo, que isso não tira a sua masculinidade...  Nunca me disseram: procure a felicidade na alma, esqueça os músculos, a voz grossa, a virilidade do dinheiro e da ascensão financeira. Sempre achei que a essência do homem não estava ligada à alma; pra mim essência era o que eu tinha que juntar ter, possuir. É tarde demais pra repensar esses tais valores. Eu só sei o que o trabalho me deu. (O SOM DE UM HELICÓPTERO ATERRISANDO SOBRE A EMPRESA INVANDE O TEATRO)

MATIAS E LISANDRA (olhando para cima)
O presidente...!
LISANDRA
Vou me odiar por isso. (apanha suas coisas e sai de cena)
MATIAS (perdido, pega sua pasta e vai sair, mas Lisandra está voltando)

OS DOIS OLHAM-SE, DETIDOS DENTRO DE SEUS PENSAMENTOS.
LISANDRA
Tarde demais, Matias.

MATIAS
Chamaram a gente?
LISANDRA (diz não com a cabeça)
MATIAS
O que é, então?
LISANDRA
O helicóptero, não era o presidente. (Caminha para frente, pára diante da parede imaginária)
MATIAS
Lisandra?!
LISANDRA
Olha pra esse espelho. É um espelho falso. O presidente, os acionistas e todo o departamento pessoal da empresa estão atrás dele, avaliando tudo...
MATIAS (perto dela e da parede, depois de um tempo)
Sacanagem!
LISANDRA
Cumprimos o teste final!
MATIAS
Quer dizer...
LISANDRA
Que fizeram a escolha.
MATIAS
Meu Pai Celeste!
A MESMA MÚSICA INICIAL É OUVIDA.
Cena 3
O PALCO ESCURECE. ELES VÃO PARA A POSIÇÃO DA CENA 1, NOS FOCOS. DESSA VEZ PODEMOS OUVIR O QUE DIZEEM.
MATIAS
Tô te falando eu sou um dos candidatados escolhidos para o teste final...
LISANDRA
Eles me ligaram nesse minuto. Eu consegui...
MATIAS
A partir de hoje tudo vai melhorar, eu prometo, meu anjo. É claro que o emprego já é meu...
LISANDRA
Preciso contratar uma secretária para cuidar de tudo aqui em casa. Por que está na cara, tô dentro, 67 mil candidatos...
MATIAS
Vou passar na floricultura e comprar seis dúzias de rosas vermelhas pra você, meu amor, e lógico vinho e um jogo para os meninos...
LISANDRA
Será que providenciaram uma sala com poltronas confortáveis pra mim?
MATIAS
Lisandra? Tá falando o que, meu anjo? Que sala?

LISANDRA
Você não tá mesmo me ouvindo, né, Matias? Meu amor: eu fui chamada para a entrevista daquele teste que nós dois... (Entende) você?
MATIAS
Eu não vou disputar a vaga com a minha mulher...
LISANDRA
Matias, nem que custe o nosso casamento, não vou perder a oportunidade, tá ouvindo?

FINALMENTE A MÚSICA CRESCE E NÃO OUVIMOS MAIS A DISCUSSÃO DE AMBOS. A LUZ VAI CAINDO NO PALCO E ABRINDO NA PLATÉIA, EM RESISTÊNCIA.



FIM
agosto de 2007

Quem sou eu

Minha foto
ribeirão preto, são paulo, Brazil
CELULAR - 16 9147 9958 DRT 18 886 SP